• Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

 

News Motivacional Nº 564 PDF Imprimir E-mail
         

Qual a diferença entre desenvolver e equipar pessoas?

Ao treinar pessoas, você lhes ensina como fazer um trabalho. Se você mostra a alguém como escanear um documento, isso é treinar. Se você ensina alguém a fazer uma venda, isso é treinar. Se você mostra quais os procedimentos do departamento, isso é treinar. Você dá treinamento ao seu pessoal para que ele saiba fazer o trabalho. Portanto, treinar é obrigatório.

desenvolvimento é diferente. Ao desenvolver pessoas, você as está ajudando a melhorarem como indivíduos. Ajudando a adquirirem qualidades pessoais que irão beneficiá-las em muitas áreas da vida, não só no trabalho. Quando você ajuda alguém a cultivar disciplina ou uma atitude positiva, isso é desenvolvimento. Quando você ensina alguém a gerenciar o tempo de modo mais eficiente ou melhorar suas habilidades pessoais, isso é desenvolvimento. 

Infelizmente muitos líderes não têm essa mentalidade de desenvolvimento. Eles esperam que seus funcionários cuidem sozinhos de suas necessidades de desenvolvimento. O que eles não conseguem perceber, no entanto, é que desenvolver traz lucros mais altos do que treinar, porque ajuda a pessoa como um todo e a leva a conquistar seu sucesso pessoal e profissional e, consequentemente, a aumentar o lucro da empresa.

Compartilhe no Facebook
  

Os sete estágios de um resfriado...

Algum observador bem-humorado expõe a reação de um marido aos sintomas de gripe de sua esposa durante sete anos de casamento:

Primeiro ano: “Meu docinho de coco, estou preocupado com a minha bonequinha. Você fique apenas deitada enquanto pego o carro e forro o banco para deixá-la aquecida para te levar ao médico”.

Segundo ano: “Ouça, querida, não estou gostando do jeito dessa tosse. Vou dar um banho no bebê e acomodá-lo, depois te levarei a um hospital”.

Terceiro ano: “Está se sentindo um bagaço, hein querida? Talvez seja melhor se deitar e descansar. Vou trazer alguma coisa para comer. Quer alguma sopa?”.

Quarto ano: “Olhe querida, seja sensata. Depois de dar comida para as crianças e lavar a louça, é melhor ir para a cama”.

Quinto ano: “Você parece que não está bem. Porque não toma logo duas aspirinas?”.

Sexto ano: “Se você simplesmente fizesse um gargarejo ou qualquer outra coisa em vez de ficar por aí tossindo como uma foca, eu agradeceria!”.

No Sétimo ano a mulher responde a pergunta do marido: “Por que Deus fez você tão bonita e tão tapada?” Ela respondeu: “Ele me fez bonita para que você se casasse comigo, e tapada para que eu pudesse gostar de você!”.

Enquanto podemos achar graça nesta imaginária degeneração de interesse e preocupação, ela é bem real em muitas relações conjugais. Então, porque não decidir encontrar hoje um novo meio de melhorar o relacionamento?

Compartilhe no Facebook

Quanto à autoria das mensagens:
Estas mensagens foram, na sua maioria, enviadas por leitores ou coletadas na internet

 

Facebook